sexta-feira, 23 de abril de 2010

O banjo


Estavam deitados na cama um ao lado do outro. Cansados. Ela deitou no peito nu dele.
- Só falta o cigarro agora.
- Verdade – ela riu. – Mas eu não vou fumar mais.
- Que bom, né? E por que não?
- Porque eu li que fumar murcha os peitos.
Ele fez uma cara incrédula e cômica.
- Fumar causa câncer, e você só vai parar porque murcha os peitos?
Ela sorriu:
- É claro!
Ela sentou meio inclinada para ele.
- Adoro ficar assim com você.
- Eu também.
Ele observou o corpo nu dela.
- Você deveria ficar assim mais vezes.
- Assim como?
- Nua. Mas só para mim.
- É, né?
- É.
Aquela era uma tarde em que ela se sentia bem. Muito bem na verdade. Em que ela imaginava tudo aquilo como uma cena de filme, só o homem e a mulher, deitados na cama, conversando suas idéias inúteis, com o banjo recém comprado dele deitado no chão e o som ao longe tocando talvez Bob Dylan. Mais tarde ela faria um bom café e ouviria Joni Mitchell para aquecer antes da sua aula de finlandês. Isso sim é um bom começo de fim de semana.


Ouvindo: Safe and sound - Azure Ray
Foto: ban by ~HerrWilliam (Deviantart) (É ele quem toca banjo, mas ela achou a foto linda)

6 comentários:

Aranel Eärwen disse...

Com certeza, é um bom começo. :)

arthurtavlei disse...

Essa sim é uma belíssima inspiração!

mary disse...

Sublime e nu, como a vida é.
Parabéns pelo texto!

perdidinha... disse...

chegeui aqui pela letra do anitelli que joguei no google!rs...
na verdade cheguei no outro blog que comeceu a ler e não parei.
voltarei sempre!
beijocas!

Tuku disse...

Como num filme bom... =D

Mathilde Panda disse...

happy to see you like my work :)

H.W.