domingo, 16 de novembro de 2008

"This time it could be different"


E ela não aguentava mais aquela agonia.
O não conseguir se concentrar em nada.
O não conseguir pensar em outra coisa, em outra pessoa.
A não ser nele.
Isso a fazia se sentir mal.
Sem ânimo.
Sem vontade de nada.
Ela odiava quando isso acontecia,
e isto estava acontecendo mais do que o usual.
Mas com este era diferente.
Em apenas 1 dia, ela imaginou todo o tempo do mundo junto a ele.
Fazer tortas juntos, andar de mãos dadas, ler no banquinho da praça, dormir juntos, jogar videogame, escutar os velhos discos dela...
Ela sabia que tudo isso poderia cair a qualquer momento.
Porque ela era assim: se apaixonava e desapaixonava rapidamente.

Mas com ele era diferente.


Bruna (15/10/2008 - Nunca costumo guardar datas, mas guardei esta)

Escutando: Navy Taxi - Kate Nash
Foto: Fall in love by =pushOK-12 (Deviantart)

7 comentários:

Aranel Eärwen disse...

"A vida que poderia ser e não foi..."
Saudades, Bruna.
Bejos.

Yaas disse...

Cara, com ELE também é diferente.
Impossivel pensar, se concentrar ou até mesmo olhar pra outra coisa.
Mais comigo é ao contrario, isso me traz forças e mais vontade de viver. O fato de saber que ele existe, mesmo ele não sendo meu.

Anônimo disse...

Sei bem como é isso.
Achoq ue a egnte sabe quando gsoata de alguém e é diferente... A gente imagina a pessoa do nosso aldo sempre, se imagina afzendo inumeras coisas coma pessoa!
Como diz Peninha "Eu fico imaginando nós dois"

Jéssica Trabuco disse...

Lindo text... como sempre.

As vezes eu queria ser a menina fácil de se apaixonar... mas parece que não sou assim. Me apixono difíiiiiiicil e quando isso acontece não poderia acontecer... o.O

Gosto muito dos seus textos, parabéns!

(www.musicapoesiaeblablabla.wordpress.com)

Ícaro Drasan - Icarus® disse...

Putz... seus textos saum legais :D
e vc escreve muito bem ^^

Esse vai para os favoritos ^^

parabens.

Anônimo disse...

Gostei do texto e da imagem.
Parabéns mais uma vez.

darsh. disse...

ai, já fui exatamente assim.
mas agora sempre tenho um pé atrás, mas ao contrário, guardo todas as datas.

no fundo, só criei uma casca imaginária para me proteger.