domingo, 30 de novembro de 2008

Trato


- Se você não gostar tudo bem.
Eu disse cortando a fatia de torta.
Ele riu.
- Se eu não gostar, você vai ter que me pagar uma pizza.
- Ha ha ha. Se você não gostar, é porque você não tem um bom paladar como o meu, tá?
E assim, dei-lhe a fatia de torta de morango à La mode.
Esperei ansiosamente pela expressão em seu rosto quando ele enfiou o primeiro pedaço na boca.
- E aí? – Perguntei.
- Hum... Acho que devo pegar outro pedaço para ter certeza...
- Rá! Você gostou!
- Está uma delícia, devo admitir.
- Eu disse que estaria boa. Sabe, eu sou uma ótima confeiteira.
Ele me olhou ironicamente e sorriu, enfiando-lhe mais uma garfada de torta com sorvete.
Eu não podia deixar de sorrir. Era engraçado tê-lo ali ao meu lado comendo a minha torta de morango.
Depois de repetir o prato, era a minha hora de lembrar o trato.
-------------------------------------------
Trato:

- Eu faço a torta de morango, e você toca piano para mim.
- Ok.

--------------------------------------------
- Bem, já fiz a torta, e como aparentemente ela foi aprovada, agora é a sua hora de cumprir com o trato.
- Você não se esquece de nada não é?
- Claro que não. – disse sorrindo. Ele me olhou profundamente. Creio que corei um pouco. Não sei...
Ele se levantou, pegou minha mão e me conduziu ao sofá. Sentou-se na cadeira de frente ao piano.
- Que música?
- Comptine d’un autre été.
- Por que você gosta das músicas mais melancólicas?
- Ah... Não sei exatamente. As pessoas dizem que as músicas mais tristes são as melhores. Talvez, são elas que mais mexem conosco. Então, tornam-se, pelo menos para mim, as favoritas.
- É... talvez. – E assim, seus dedos começaram a valsar pelo piano. As notas dançavam no ar, naquela música lenta. Devagar. Profunda. E que sempre me fazia sentir especial sem aparente razão.
Quando os 2 minutos e 19 segundos acabaram, ele se sentou ao meu lado.
- Toco bem?
- Nada mal.
- Nada mal?
- É. – respondi rindo – Não é melhor do que minha torta de morango...

E novamente, ele me lançou aquele olhar profundo.
E foi quando senti o leve sabor do morango e sorvete em minha boca.


Bruna

Escutando: Worn me down - Rachael Yamagata
Foto: L'amour by my friend Ivan Lopes :)

11 comentários:

maria flor. disse...

vc sabe,né?

amo.

Filipe Andrade - [Spow] disse...

Pretty good! *-*

Anônimo disse...

Lindo, nossa amo essa musica! Amo Amelie P.!

Yaas disse...

OMG.
digo que vou largar o meu blog, e volto TODO DIA só pra ver se voc~e postou *-*
poxa... sera que se eu cosinhar pra ele, ele toca pra mim? *-*
e melhor ainda. será que eu sentiria o sabor na minha boca? *-*
AMEI AMEI AMEI.
beijos :*

Anny disse...

Amei o texto...Pergunta se ele tem um irmão pra me apresentar,tô precisando sentir o sabor de umas tortas de morangos..xD

blog lindo,amei tudo!
bjo

Anny

Anônimo disse...

Que musica bacana! E fala justamente dessa coisa de deixar o porto em busca de coisas novas...
Adorei!

Mayana Carvalho.♥ disse...

Tudooooo esse seu post! aii amei, vocEê screve divinamente ;D

Eu jamais poderia fazer um trato desse com alguem (cozinho muito mal), a ultima coisa que eu ira sentir er o gosto do morango..

Beijos

Yaas disse...

pois é. tem horas que tudo o que eu quero é fazer isso, mais a vergonha me impede ;x

beijos :*

Garota Purpurina disse...

cara, esse texto está MUITO bom (e fofo).
adorei a sacada no final ('senti o leve sabor de morango...'), todo texto perfeito precisa de uma ótima sacada no final!
parabéns, muito bom MESMO

Anônimo disse...

Ĉi tiu estas tre bona, knabino.

Doce. Deixa um pedaço dessa torta pra mm.

Feist é legal!

darsh. disse...

lindo lindo! ai, fiquei imaginando a cena :)